HISTÓRICO E EXPERIÊNCIA DA INSTITUIÇÃO

PRINCIPAIS LINHA DE ATUAÇÃO

Linha de Atuação Prioritária: Esporte.
Linha de Atuação Secundária: Educação.

O xadrez é uma atividade milenar que carrega consigo um corpo de experiências e conhecimentos que constituem hoje um patrimônio cultural da humanidade. No mundo inteiro as atividades do xadrez são patrocinadas por grandes empresas, exatamente porque ele traz consigo a imagem de planejamento estratégico que todos percebem como fundamental num negócio bem-sucedido. No Brasil esta aproximação vem acontecendo desde 2009 quando a Fundação Brasileira de Xadrez/ACIAPI foi criada por uma Associação Comercial, industrial, agropecuária e de prestação de Serviços – ACIAPI que enxergou no xadrez uma atividade capital para seu braço social. Em Minas Gerais a modalidade está consolidada há mais de dez anos, e viabilizadas pelos PARCEIROS dos setores público e privado, principalmente, que a Fundação teve a honra de conquistar.

A Fundação é uma organização de direito privado sem fins lucrativos, repito, criada pela Associação Comercial, Industrial, Agropecuária de Ipatinga – ACIAPI no dia 10 de fevereiro de 2009. É qualificada de Utilidade Pública pela Lei Municipal 2.816 de 10 de janeiro de 2011 e Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP pelo Ministério da Justiça no dia 27 de maio de 2010. Tem como missão: Promover a cultura plena do xadrez científico nos clubes, escolas e comunidades.

A Fundação Brasileira de Xadrez/ACIAPI de acordo com seu estatuto, cito Art. 4º, é constituída para prestar assistência às questões de interesse coletivo tendo para isto as seguintes Finalidades: I – Assistencial; II – Cultural; III – Moral. §1º – Como Finalidade Assistencial compreende colaborar, amparar, criar e apoiar projetos de prestação de assistência direta nas áreas da pesquisa científica, do desenvolvimento intelectual, do esporte, da manutenção dos direitos constitucionais e do suporte a vida, desde quem sem fins econômicos (…) § 2º – Como Finalidade Cultural compreende colaborar, amparar, criar e apoiar projetos de preservação, defesa e conservação do patrimônio cultural, da valorização e a difusão de manifestações culturais, com objetivos filantrópicos, educacionais, científicos e tecnológicos, e, proporcionar alcance ao aprendizado e à prática do xadrez científico, colaborando, amparando, criando e apoiando projetos para promover a cultura plena do xadrez nos núcleos de convivência, lazer e desenvolvimento humano, nas escolas e nas comunidades.

Tendo transformado a região em referência no ensino e na prática do xadrez no Estado de Minas Gerais a FUNDAÇÃO já realizou centenas de atividades, foram: capacitação presencial de professores, capacitação continuada, monitoria de professores e alunos, festivais regionais, eventos assistemáticos abertos, treinamento de enxadristas, apoio institucional nos Jogos Escolares de Minas Gerais – JEMG e parceria com universidades, secretarias municipais de educação, escolas e superintendências regionais de ensino.

Dentre as experiências e projetos desenvolvidos mais importantes, citam-se:

(1) Minas presente na Escola, 2012/2013, executado em 05 cidades em parceria com o Governo do Estado de Minas e a Faculdade Pitágoras, teve como patrocinadoras empresas do Vale do aço;

(2) Xadrez Esporte Educacional: Capacitação, Aprimoramento e Qualificação, 2013/2014, executado em 17 cidades tendo como apoiadores as Secretarias municipais de todas as cidades e a Superintendência de Ensino do Estado de Minas Gerais/Cel. Fabriciano e patrocinado pelo Programa Petrobras Esporte e Cidadania;

(3) Xadrez Esporte Educacional: Clube Brasileiro de Xadrez Escolar, 2015/2016/2017, executado em 20 cidades tendo como apoiadores as Secretarias municipais de todas as cidades e a Superintendência de Ensino do Estado de Minas Gerais/Cel. Fabriciano, e patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental;

(4) Projeto Xadrez aprendizagem: Uma leitura frente as Desigualdades Educacionais, iniciado em 2017 e ainda em execução na Escola Estadual Israel Pinheiro em Governador Valadares/Mg que visa fornecer materiais e manter em capacitação todo o quadro efetivo de professores para ministrar a modalidade como disciplina oficializada na projeto pedagógica da escola e atende a 1.800 (mil e oitocentos) alunos, informações disponível em: https://www.facebook.com/xadrezisraelpinheiro/ e realizado com recursos da própria Fundação;

(5) Projeto de Apoio Institucional, iniciado em 2009 é realizado durante o ano inteiro, já beneficiou 23 cidades mineiras, visa fortalecer a rede de xadrez escolar com equipe técnica qualificada e empréstimo (gratuito) de materiais (tabuleiros, peças de xadrez e relógios) em quantidade suficiente para a realização de festivais de xadrez nas escolas e municípios, é executado com recursos da própria Fundação que desde a instituição foram realizados cerca de 600 (seiscentos) eventos informações disponível em: https://www.facebook.com/fundacaobrasileiradexadrez/


Projeções populacionais realizadas pelas Nações Unidas (WORLD, 2017) estimou-se que em 2015 havia 2,5 bilhões de crianças e adolescentes de 0 a 19 anos, 34,2% da população mundial total. Na mesma pesquisa observaram que nas regiões mais desenvolvidas cerca 21,9% das pessoas estavam nesta faixa de idade, enquanto nas regiões menos desenvolvidas correspondia a 36,7% da população.

Os números citados mostraram que um terço da população mundial em países como o Brasil são crianças e adolescentes e indicam a importância de políticas públicas e privadas específicas para esta parcela da sociedade já que o bem-estar de crianças e adolescentes influencia diretamente no desenvolvimento futuro de toda uma população (IBGE, 2017). Assim, a Fundação Brasileira de Xadrez/ACIAPI justifica o xadrez nas escolas:

1. Porque é possível LEGITIMAR uma política social inclusiva para crianças e adolescentes através do esporte educacional que encontra legitimidade na Constituição Federal.

2. Porque se pode ACELERAR O CRESCIMENTO do xadrez nas escolas tornando-o realmente significativo (efetivo), capaz de promover o acesso de todos ao esporte escolar como INSTRUMENTO para melhoria da aprendizagem das disciplinas curriculares, no sentido em que ele desenvolve nos alunos habilidades intelectuais e posturas de comportamento desejáveis no ambiente escolar.

3. Porque o xadrez como modalidade esportiva pode CONTRIBUIR COM A MELHORIA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA no Brasil, sendo a escola pública o único caminho que crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social dispõem para influir no desenvolvimento e produção futura de sua comunidade.


CARACTERIZAÇÃO DA REALIDADE SOCIOAMBIENTAL

O desenvolvimento e o bem-estar de crianças e adolescentes estão associados a uma melhora geral nas condições de vida da população. Um exemplo se observa quando da diminuição da mortalidade infantil que reflete diretamente na EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER, sendo este UM INDICADOR associado ao desenvolvimento de uma sociedade (Unicef, 2015).

No caso A EDUCAÇÃO É O INDICADOR DE RELEVÂNCIA, pois o aprendizado obtido por crianças e adolescentes na escola é fator fundamental na formação de seus anos futuros, influenciando também nas condições futuras de saúde e produtividade de toda a população.

A POBREZA, também é UM INDICADOR presente, importante ao se caracterizar o beneficiado e deve ser citado. Indicadores de pobreza e extrema pobreza mostram que este público, crianças e adolescentes, é bastante presente em condições mais vulneráveis, conforme aponta a Unicef (2015) em suas publicações (ENDING, 2016; THE STATE, 2016). Sendo o fator de relevância neste indicador o bem-estar de crianças e adolescentes enquanto direito e prioridade de políticas públicas e privadas.

O xadrez é um esporte educacional por excelência, além de ajudar no desenvolvimento de habilidades intelectuais e de posturas de comportamento, já citados, que favorecem o aprendizado das disciplinas regulares na escola e melhora os índices de desenvolvimento escolar, também, promove a inclusão social. Lembra-se que o projeto será executado em escolas públicas, entre crianças e adolescentes que em sua maior parte estão em cidades e comunidades em condição de vulnerabilidade social, portanto, repete-se que para elas a escola é o único caminho de acesso para mudar condições futuras e influenciar na produtividade da sociedade onde está inserida.

CNPJ: 10.994.058.0001/51.

Contato: Geraldo Antônio da Silva Filho
Conselheiro Curador – Diretor Administrativo.

E-mail: [email protected]
Telefones:(31) 3828 5151 » Ramal 5181 • Celular: (31) 99126 6685